.

Empresa: Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, Indústria e Agricultura de Minas Gerais

Endereço: Rua Piauí, 2019 - Funcionários, Belo Horizonte-MG

Telefone: +55 31 3287-2212

Site: www.italiabrasil.com.br





Entrevista :: Breno Oliveira, proprietário da Il Sordo Gelato


31/01/19

Investir em um novo negócio e torná-lo bem-sucedido é uma tarefa desafiadora para qualquer pessoa, mas, para alguns empreendedores, os obstáculos à frente podem ser muito maiores. Este é o cenário enfrentado pelo jovem empresário sergipano, Breno Nunes de Oliveira, que não escuta desde o nascimento. Surdo, Breno prova que a vocação para os negócios, aliada a uma imensa força de vontade, são determinantes para o sucesso. Aos 24 anos, ele é o proprietário da Il Sordo Gelato, inaugurada em 2016 e que já conta com três unidades, onde trabalham outras pessoas surdas como atendentes. Em superação aos desafios em se inserir no mercado de trabalho, Oliveira, que se comunica em Libras – Língua Brasileira de Sinais –, conciliou seu sonho em empreender à missão de ajudar outros jovens que enfrentam as mesmas barreiras por conta da surdez. 

Este mês, Breno visitou a feira Sigep, em Rimini (Itália), integrando uma missão de empresários organizada pela Câmara de Comércio Italiana de Minas Gerais. Acompanhado do pai e consultor, José de Oliveira Júnior, ele conheceu de perto a maior e mais importante feira do setor no mundo, e, de volta ao Brasil, contou ao Italia Affari um pouco de sua trajetória e experiência em participar do salão italiano.

1 – Já havia visitado a Itália? 

Nunca tinha ido a Itália. Fui pela primeira vez agora, a convite da Câmara Italiana. Foi uma experiência maravilhosa.

2 – De onde surgiu a ideia de investir em uma gelateria?

Sou surdo e queria ter uma empresa ao perceber que o mercado de trabalho não me dava oportunidades de crescimento profissional. Além disso, como empresário, eu poderia contratar outros surdos, o que poderia ser um diferencial de atendimento. Nessa época, em Aracaju, não tinha gelateria e eu não sabia o que era o gelato. Por meio de pesquisas, me interessei por fazer cursos – Breno estudou técnicas de sorveteria em São Paulo – e, quando descobri o conceito do gelato, me apaixonei. Comecei a buscar e aprofundar o conhecimento, abrindo uma gelateria diferente, pois, através de funcionários surdos, podemos fazer um atendimento de qualidade, e buscar desenvolvimento e a inovação.

3 – O gelato é um símbolo da Itália. Quais os desafios em produzir um produto que, de certa maneira, ainda é novidade para o brasileiro?

Foram vários desafios, inúmeros. Realmente, foi bem difícil tentar entender tudo isso e começar a empresa. Muitas pessoas pensam que é uma franquia de uma rede maior e não imaginam que começamos tudo do zero. Percebi que precisava de bons equipamentos, como os italianos, que são bastante atraentes, luxuosos e de alta qualidade, além de ótimos ingredientes e arquitetura. Realmente precisei aprender tudo para o desenvolvimento da estrutura da gelateria e, felizmente, fui achando ótimos parceiros que me ensinaram muito.

4 – Como ficou sabendo da Sigep? Quais atrativos levaram a participar da feira?

Conhecia apenas através de sites e redes sociais. Fiquei muito surpreso quando a Câmara Italiana me convidou e estou realmente muito grato. A Sigep e a própria ida a Itália foram uma excelente oportunidade de aprendizagem.

5 – Durante a feira, quais as novidades mais chamaram a sua atenção?

São inúmeras coisas. A toda hora você se defronta com novidades. São coisas muito bem elaboradas, profissionais, produtos e produtores de alto nível. Gostei de tudo: máquinas, equipamentos, técnicas de fabricação e matérias-primas para gelato. Tudo mesmo.

6 – Qual o balanço de sua experiência em participação na Sigep?

Foi um enorme ganho de aprendizagem, que vai me permitir melhorar muito o meu negócio. Para o futuro, espero poder fazer negócios com as empresas com quem tive contato – foram várias durante a feira. Percebi que é preciso experiência, não dá para ir a somente uma feira e sair fazendo importação e exportação. Há toda uma necessidade de conhecimento e experiência, que não pode ser resumida a uma única feira. Mas foi o primeiro e muito importante passo.

7 – De volta ao Brasil, quais as expectativas de negócio em decorrência da participação na Sigep?

Vamos ver a viabilidade de adquirir outros equipamentos italianos, que conhecemos melhor, e, no futuro, alguns insumos de produção. Além disso, vamos aplicar algumas coisas que tentamos aprender mediante observação e conversa com expositores.

 

Todos os nossos eventos





Outras Notícias



La Camera di Commercio Italiana di Minas Gerais è un'associazione senza scopo di lucro che dal 1995 svolge la missione di promuovere e rafforzare i legami istituzionali e commerciali tra Italia e Brasile. Nel 1998 è stata riconosciuta dal Governo Italiano e da allora fa parte dell'Associazione delle Camere di Commercio Italiane all'Estero, ASSOCAMERESTERO, che a sua volta fa parte UNIONCAMERE (Unione delle Camere di Commercio in Italia).


Per realizzare la sua missione, la Camera distribuisce le proprie attività su due fronti: la prima a servizio delle imprese e la seconda a livello istituzionale.


Nell’ambito dell´assistenza alle imprese, la Camera agisce come un ponte strategico tra le imprese italiane che già hanno oppure cercano rapporti commerciali in Brasile, e per imprese brasiliane interessate al mercato Italiano, offrendo a queste servizi personalizzati per soddisfare le loro esigenze.


Tra i principali servizi resi, si evidenziano seguenti:
- Ricerca partner commerciale e/o produttivo (joint-venture);
- Elaborazione mailing list di importatori/esportatori, grossisti, distributori o rappresentanti etc;
- Ricerca economica preliminare (analisi della concorrenza, prezzi di mercato, canali di sbocco etc);
- Informazioni sulle tariffe doganali per l´importazione in Brasile e le eventuali barriere;
- Ausilio per finanziamento presso le banche locali;
- Ausilio per identificazione di incentivi finanziari e fiscali per la creazione e costituzione di società in Brasile;
- Elaborazione analisi di fattibilità economica per l’importazinoe in Brasile di impianti italiani;
- Elaborazione ed aggiornamento costante di una Guida su Come Investire in Brasile Step by Step;
- Marketing istituzionale e di opportunità d´affari;
- Assistenza nelle relazioni istituzionali e/o commerciali quale ponte tra il mercato e le istituzioni brasiliane e le imprese/istituzioni italiane interessate al mercato brasiliano;
- Gestione di missioni commerciali;
- Organizzazione di agende d´incontri;
- Realizzazione di seminari tematici;
- Partecipazione a progetti istituzionali ed altri.


Verificate il catalogo dei servizi camerali


A livello istituzionale, la Camera agisce come facilitatore delle relazioni bilaterali tra Italia e Brasile, incoraggiando lo scambio di esperienze tra le istituzioni in diversi settori economici. A tal fine, stabilisce importanti partnership con le istituzioni governative brasiliane e italiane, formando una solida rete di collaborazione. Nel suo network figurano il Governo di Minas Gerais, l'Ambasciata d'Italia in Brasile, il Consolato d'Italia a Belo Horizonte, le Segreterie di Stato per lo Sviluppo Economico, Scienza e Tecnologia ed Agricultura, l’Istituto per lo Sviluppo Integrato di Minas Gerais (INDI), il Centro Tecnologico di Minas Gerais (CETEC), la Banca Regionale (BDMG), tra molti altri.



Per saperne di più sui servizi resi dalla Camera di Commercio Italiana in Minas Gerais, non esitate a contattarci:


+55 (31) 3287-2211 - info@italiabrasil.com.br