.

Empresa: Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, Indústria e Agricultura de Minas Gerais

Endereço: Rua Piauí, 2019 - Funcionários, Belo Horizonte-MG

Telefone: +55 31 3287-2212

Site: www.italiabrasil.com.br





Entrevista: Mauro Borges, diretor-presidente da Cemig


Executivo com larga experiência no setor público, privado e acadêmico, o economista mineiro Mauro Borges, em sua carreira, atuou como presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), diretor e membro do Conselho de Administração do BNDES e foi Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Doutor em Economia pela Universidade de Londres, na Inglaterra, com pós-doutorado na Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, e na Universidade de Paris, na França, Mauro Borges contou, em entrevista à Câmara Ítalo-Brasileira, sobre os desafios da inovação à frente da Cemig.

1 - Por meio do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), a Cemig busca novas tecnologias e alternativas que promovam melhorias no sistema elétrico. Em sua visão, de que modo a inovação efetiva-se com um fator estratégico para a companhia e um caminho a ser trilhado?

O atual modo de vida da sociedade é bastante dependente do uso da energia. Quando se olha para o futuro, são muitas as questões pelas quais serão exigidos esforços e reflexões em busca de soluções: mobilidade, envelhecimento da população, consumo, resíduos. Para todos os assuntos, a energia – fonte, processos de transformação e uso final – se apresenta como um elemento essencial.

Um dos grandes desafios da sociedade atual é a questão do aquecimento global, devido à emissão de gases de efeito estufa associada à escassez de recursos naturais.  Nessa circunstância, a tecnologia torna-se um importante pilar para a construção de um futuro sustentável, tendo ela um papel de destaque na modificação do quadro estabelecido.

Não há dúvidas de que o desenvolvimento científico e tecnológico é capaz de criar novos mercados e também tornar outros obsoletos. A tecnologia alia o conhecimento à experiência, associa a descoberta científica à invenção experimental. Entretanto, a novidade somente se materializa por meio do processo de inovação. Inovar é ir além das ideias e da simples criação. Somente assim se fecha o ciclo da Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P&D).

Inovar em um mundo dinâmico e globalizado, seja pelo desenvolvimento de produtos, seja pela busca do novo, não é uma opção e sim uma obrigação, pois a todo instante surgem novos métodos, teorias, inventos, que modificam sensivelmente o ambiente dos negócios. É interessante perceber que tais modificações trazem consigo também oportunidades.

O Programa de Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico (P&D) tem por finalidade ser uma ferramenta para tornar as concessionárias de energia elétrica mais competitivas. Os reflexos para a sociedade são evidenciados, por exemplo, nas formas de modicidade tarifária, novos serviços e equipamentos.

Há que se destacar que os benefícios desses projetos vão além do desenvolvimento de uma tecnologia, enunciando, também, a formação de recursos humanos com alta especialização e o incentivo à pesquisa, essenciais para o desenvolvimento científico da nação. Não podemos nos esquecer do fomento à indústria, necessário ao desenvolvimento tecnológico, da publicação e da divulgação científica e dos ganhos socioambientais decorrentes.

Uma estratégia essencial de sobrevivência para qualquer empresa está centrada em duas vertentes: eficiência operacional e desenvolvimento de novos negócios. A atual visão da Cemig é conhecida: “Consolidar-se, nesta década, como o maior grupo do setor elétrico nacional em valor de mercado, com presença em gás, líder mundial em sustentabilidade, admirado pelo cliente e reconhecido pela solidez e performance”.

O Programa de P&D da Cemig é aderente e cumpre com a busca de elementos como a eficiência operacional. Contando com mais de 600 projetos em sua história, a Companhia atua no ambiente de negócios de modo a contribuir para a construção da sociedade do futuro com sustentabilidade.

A inovação não é algo estanque, limitada a projetos. Ao longo da história da Cemig foram muitos os exemplos que indicam a vanguarda da Empresa e o seu espírito inovador: a construção de grandes barragens (até mesmo desenvolvendo a própria engenharia), a primeira usina eólio-elétrica conectada ao sistema elétrico brasileiro na década de 1990, dentre outras iniciativas.

2 - A Cemig acaba de ser anunciada como um dos vencedores do Prêmio Mineiro de Inovação, na categoria Intangível, com o projeto “Monitoramento ambiental utilizando imagens reais das áreas cobertas por linhas de transmissão e reconhecimento de padrões”. Como o senhor avalia esse importante resultado e as contribuições que o projeto oferece?

A parceria entre entidades e pessoas é a melhor solução para vencer diversas restrições impostas à sociedade moderna, das mais instransponíveis às mais triviais. É uma honra para a Cemig ter proposto e executado um projeto de P&D, de ganho intangível, que estabelece uma parceria perfeita entre empresa e sociedade por meio da internet, a fim de se combater um grave problema, que é a detecção e localização com bastante antecedência de focos de fumaça e fogo nos variados incêndios.

A maior contribuição desse projeto é atestar que, de fato, a sociedade moderna está motivada e apta a colaborar nos diversos problemas que as empresas e entidades possuem e a internet, por sua vez, mostrou como essa parceria pode ser benéfica para todos nós.

3 - Qual o caminho que deve ser seguido para que, futuramente, diversifiquemos a produção energética, utilizando, em maior quantidade, fontes renováveis, como a eólica, solar, biomassa, entre outras? Como tem sido o trabalho da Cemig neste sentido?

É fundamental uma política de estímulos que aumente a participação das fontes renováveis na Matriz Energética Brasileira. A título de exemplo, cito o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa), adotado pelo Ministério de Minas e Energia. Assim como a energia eólica conseguiu estabelecer uma cadeia produtiva no Brasil, outras fontes podem, se corretamente incentivadas, apresentar resultados notáveis.

A Companhia Energética de Minas Gerais tem investido em pesquisas utilizando fontes alternativas, em especial a energia solar fotovoltaica. O Mineirão, maior estádio solar do mundo, é capaz de gerar 1.418,40 kW de potência. O primeiro projeto de P&D da Aneel, valendo-se de fontes renováveis de energia e armazenamento conectado à rede, é explorado no Estádio Joaquim Henrique Nogueira, conhecido como Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Outro projeto igualmente importante é o Settesolar, usina com capacidade de 3 MWp de potência, unidade suficiente para abastecer até 3 mil residências.

4 - Algumas empresas promovem soluções autorais para a geração de energia, que, sob a ótica econômica e ambiental, são extremamente válidas. Como a empresa enxerga e se envolve nesse tipo de iniciativa?

A Companhia Energética de Minas Gerais vem investindo em projetos de P&D sob essa ótica. No passado, antes da resolução da Aneel possibilitar esse tipo de execução, já desenvolvíamos pesquisas sobre sistemas de geração de energia solar conectados à rede.

A Companhia investiu na purificação do silício para produção de células solares em parceria com a Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec). O nosso estado é o que mais produz e exporta esse elemento, fundamental para a fabricação de itens variados, que englobam desde o silicone a componentes eletrônicos que nos são indispensáveis.

Empreendimentos como os citados demonstram o como a Cemig tem se preocupado e se empenhado em estimular iniciativas de diversificação das soluções de geração de energia.

 

Crédito: Elderth Theza

Todos os nossos eventos





Outras Notícias



La Camera di Commercio Italiana di Minas Gerais è un'associazione senza scopo di lucro che dal 1995 svolge la missione di promuovere e rafforzare i legami istituzionali e commerciali tra Italia e Brasile. Nel 1998 è stata riconosciuta dal Governo Italiano e da allora fa parte dell'Associazione delle Camere di Commercio Italiane all'Estero, ASSOCAMERESTERO, che a sua volta fa parte UNIONCAMERE (Unione delle Camere di Commercio in Italia).


Per realizzare la sua missione, la Camera distribuisce le proprie attività su due fronti: la prima a servizio delle imprese e la seconda a livello istituzionale.


Nell’ambito dell´assistenza alle imprese, la Camera agisce come un ponte strategico tra le imprese italiane che già hanno oppure cercano rapporti commerciali in Brasile, e per imprese brasiliane interessate al mercato Italiano, offrendo a queste servizi personalizzati per soddisfare le loro esigenze.


Tra i principali servizi resi, si evidenziano seguenti:
- Ricerca partner commerciale e/o produttivo (joint-venture);
- Elaborazione mailing list di importatori/esportatori, grossisti, distributori o rappresentanti etc;
- Ricerca economica preliminare (analisi della concorrenza, prezzi di mercato, canali di sbocco etc);
- Informazioni sulle tariffe doganali per l´importazione in Brasile e le eventuali barriere;
- Ausilio per finanziamento presso le banche locali;
- Ausilio per identificazione di incentivi finanziari e fiscali per la creazione e costituzione di società in Brasile;
- Elaborazione analisi di fattibilità economica per l’importazinoe in Brasile di impianti italiani;
- Elaborazione ed aggiornamento costante di una Guida su Come Investire in Brasile Step by Step;
- Marketing istituzionale e di opportunità d´affari;
- Assistenza nelle relazioni istituzionali e/o commerciali quale ponte tra il mercato e le istituzioni brasiliane e le imprese/istituzioni italiane interessate al mercato brasiliano;
- Gestione di missioni commerciali;
- Organizzazione di agende d´incontri;
- Realizzazione di seminari tematici;
- Partecipazione a progetti istituzionali ed altri.


Verificate il catalogo dei servizi camerali


A livello istituzionale, la Camera agisce come facilitatore delle relazioni bilaterali tra Italia e Brasile, incoraggiando lo scambio di esperienze tra le istituzioni in diversi settori economici. A tal fine, stabilisce importanti partnership con le istituzioni governative brasiliane e italiane, formando una solida rete di collaborazione. Nel suo network figurano il Governo di Minas Gerais, l'Ambasciata d'Italia in Brasile, il Consolato d'Italia a Belo Horizonte, le Segreterie di Stato per lo Sviluppo Economico, Scienza e Tecnologia ed Agricultura, l’Istituto per lo Sviluppo Integrato di Minas Gerais (INDI), il Centro Tecnologico di Minas Gerais (CETEC), la Banca Regionale (BDMG), tra molti altri.



Per saperne di più sui servizi resi dalla Camera di Commercio Italiana in Minas Gerais, non esitate a contattarci:


+55 (31) 3287-2211 - info@italiabrasil.com.br