.

Empresa: Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, Indústria e Agricultura de Minas Gerais

Endereço: Rua Piauí, 2019 - Funcionários, Belo Horizonte-MG

Telefone: +55 31 3287-2212

Site: www.italiabrasil.com.br





Redução jornada/salário e suspensão do contrato de trabalho


Escritório Matheus Bonaccorsi orienta sobre instruções e termos para formalização

22/04/20

No último dia 17 de abril, o Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu o julgamento e esclareceu alguns pontos da Medida Provisória 936/2020, que prevê a possibilidade de redução de salário e jornada e suspensão do contrato de trabalho.

O ponto central da discussão girava em torno da necessidade de aprovação do sindicato quanto ao acordo, eventualmente celebrado diretamente entre empregador e empregado, para que pudesse produzir seus efeitos.

Por maioria dos votos, optou-se pela manutenção da redação original da MP, de modo que, ao definir o ajuste, o empregador deverá, no prazo de dez dias, encaminhar a informação ao Ministério da Economia, e, também, ao sindicato da categoria profissional. Contudo, tal informação não necessita de qualquer consentimento, visto que, já produz seus efeitos a partir da transmissão da informação.

Pensando nisso, e para facilitar os ajustes eventualmente celebrados, o escritório Matheus Bonaccorsi Advocacia e Consultoria Empresarial elaborou um passo-a-passo para implantação de cada uma das medidas, bem com os respectivos termos inerentes aos processos.

 

Redução de jornada e de salário (com os respectivos modelos):

1 - Celebração individual com os empregados, por no máximo 60 dias;

2 - A negociação deve ocorrer, com antecedência mínima de dois dias corridos, antes do início da suspensão do contrato;

3 - Para que esteja habilitado para negociar individualmente a redução proporcional jornada/salário, o empregado deve receber salário igual ou inferior a R$ 3.135,00, ou superior a R$ 12.202,12, desde que possua diploma de nível superior. Caso o empregado não se enquadre nestas condições, há necessidade de instrumento coletivo (Acordo Coletivo de Trabalho ou Convenção Coletiva de Trabalho), prevendo tal possibilidade;

4 - A redução poderá ocorrer nos seguintes percentuais: 25%, 50% e 70%.

5 - O empregado fará jus a todos os benefícios concedidos por ocasião do contrato de trabalho (plano de saúde, odontológico, vale refeição/alimentação, vale transporte, entre outros);

6 - Após celebrado o ajuste, individualmente com o empregado, a empresa deverá informar ao Ministério da Economia, por meio do sistema EMPREGADORWEB (mesmo do Seguro Desemprego), no prazo de dez dias corridos. Essa comunicação é obrigatória, sob pena de invalidar o acordo e o empregado ficar sem receber o auxílio emergencial. Nesse ato, a empresa deverá informar, no sistema, a conta corrente do empregado, para que possibilite o recebimento do auxílio emergencial;

7 - Também é necessária a comunicação, ao sindicato da categoria profissional, sobre o ajuste firmado, conforme termo anexo, no prazo de dez corridos. Cada sindicato tem estipulado a melhor forma de envio da informação (e-mail, carta, entre outros);

8 - O empregado receberá o auxílio emergencial pelo Governo Federal no prazo de 30 dias, contados do acordo feito entre empregado e empregador;

9 - O valor do benefício recebido pelo empregado será proporcional à redução pactuada, calculada sobre o valor a que o empregado faria jus em caso de recebimento de Seguro Desemprego. Além do salário proporcional, o empregador poderá complementar com uma ajuda compensatória mensal, que pode ser paga em qualquer valor, e terá natureza indenizatória.

10 - Durante o período de redução de jornada e salário e por igual período após cessado o ajuste, o empregado terá estabilidade (garantia de emprego). Caso ocorra a demissão nesse período, o empregado fará jus a uma indenização.

11 - O ajuste será cessado em três hipóteses:

- Caso chegue ao fim o estado de calamidade pública;

- Da data prevista no acordo feito entre empregado e empregador;

- A qualquer momento, caso o empregador decida antecipar o fim do período pactuado, com comunicação ao empregado com 48 horas de antecedência.

 

Modelo de comunicação ao sindicato - redução

Modelo de redução de jornada e salário

 

Suspensão do contrato de trabalho (com os respectivos modelos):

1 - Celebração individual com os empregados, por no máximo 60 dias;

2 - A negociação deve ocorrer, com antecedência mínima de dois dias corridos, antes do início da suspensão do contrato;

3 - Para que esteja habilitado a negociar individualmente a suspensão do contrato de trabalho, o empregado deve receber salário igual ou inferior a R$ 3.135,00, ou superior a R$ 12.202,12, desde que possua diploma de nível superior. Caso o empregado não se enquadre nestas condições, há necessidade de instrumento coletivo (Acordo Coletivo de Trabalho ou Convenção Coletiva de Trabalho), prevendo tal possibilidade;

4 - O empregado fará jus a todos os benefícios concedidos por ocasião do contrato de trabalho (plano de saúde, odontológico, vale refeição/alimentação, entre outros. Exceto o vale transporte, que possui regramento próprio e é devido apenas no caso de haver deslocamento ao trabalho, o que não ocorrerá com a suspensão);

5 - Durante a suspensão do contrato de trabalho não poderá haver qualquer prestação de serviços pelo empregado, ainda que de forma remota, sob pena de descaracterização do acordo;

6 - Após celebrado o ajuste, individualmente com o empregado, a empresa deverá informar ao Ministério da Economia, por meio do sistema EMPREGADORWEB (mesmo do Seguro Desemprego), no prazo de dez dias corridos. Tal comunicação é obrigatória, sob pena de invalidar o acordo e o empregado ficar sem receber o auxílio emergencial. Nesse ato, a empresa deverá informar no sistema a conta corrente do empregado, para que possibilite receber o auxílio emergencial;

7 - Também é necessária a comunicação, ao sindicato da categoria profissional, sobre o ajuste firmado, conforme termo anexo, no prazo de dez corridos. Cada sindicato tem estipulado a melhor forma de envio da informação (email, carta, entre outros);

8 - O empregado receberá o auxílio emergencial pelo Governo Federal, no prazo de 30 dias, contados do acordo feito entre empregado e empregador;

9 - O valor do benefício recebido pelo empregado dependerá da receita bruta da empresa no ano de 2019:

- Abaixo R$ 4,8 milhões: empregado receberá 100% do valor que receberia do Seguro Desemprego (valor varia entre R$ 1.045,00 a R$ 1.813,03). O empregador poderá complementar com uma ajuda compensatória mensal, que pode ser paga, em qualquer valor, e terá natureza indenizatória.

- Acima R$ 4,8 milhões: empregado receberá 70% do valor que receberia do Seguro Desemprego (valor varia entre R$ 1.045,00 a R$ 1.813,03). O empregador deverá complementar com o equivalente a 30% sobre o salário.

10 - Durante o período de suspensão do contrato de trabalho e por igual período, após cessado o ajuste, o empregado terá estabilidade (garantia de emprego). Caso ocorra a demissão nesse período, o empregado fará jus a uma indenização.

11 - O ajuste será cessado em três hipóteses:

- Caso chegue ao fim o estado de calamidade pública;

- Da data prevista no acordo feito entre empregado e empregador;

- A qualquer momento, caso o empregador decida antecipar o fim do período pactuado, com comunicação ao empregado com 48 horas de antecedência.

 

Modelo de comunicação ao sindicato - suspensão

Modelo de suspensão do contrato de trabalho

 

O escritório Matheus Bonaccorsi Advocacia e Consultoria Empresarial está à disposição para orientar e esclarecer sobre os principais pontos da MP. Para isso, basta entrar em contato: comunicacao@mbempresarial.com.br ou (31) 3280-1600.

 

 

Todos os nossos eventos





Outras Notícias



La Camera di Commercio Italiana di Minas Gerais è un'associazione senza scopo di lucro che dal 1995 svolge la missione di promuovere e rafforzare i legami istituzionali e commerciali tra Italia e Brasile. Nel 1998 è stata riconosciuta dal Governo Italiano e da allora fa parte dell'Associazione delle Camere di Commercio Italiane all'Estero, ASSOCAMERESTERO, che a sua volta fa parte UNIONCAMERE (Unione delle Camere di Commercio in Italia).


Per realizzare la sua missione, la Camera distribuisce le proprie attività su due fronti: la prima a servizio delle imprese e la seconda a livello istituzionale.


Nell’ambito dell´assistenza alle imprese, la Camera agisce come un ponte strategico tra le imprese italiane che già hanno oppure cercano rapporti commerciali in Brasile, e per imprese brasiliane interessate al mercato Italiano, offrendo a queste servizi personalizzati per soddisfare le loro esigenze.


Tra i principali servizi resi, si evidenziano seguenti:
- Ricerca partner commerciale e/o produttivo (joint-venture);
- Elaborazione mailing list di importatori/esportatori, grossisti, distributori o rappresentanti etc;
- Ricerca economica preliminare (analisi della concorrenza, prezzi di mercato, canali di sbocco etc);
- Informazioni sulle tariffe doganali per l´importazione in Brasile e le eventuali barriere;
- Ausilio per finanziamento presso le banche locali;
- Ausilio per identificazione di incentivi finanziari e fiscali per la creazione e costituzione di società in Brasile;
- Elaborazione analisi di fattibilità economica per l’importazinoe in Brasile di impianti italiani;
- Elaborazione ed aggiornamento costante di una Guida su Come Investire in Brasile Step by Step;
- Marketing istituzionale e di opportunità d´affari;
- Assistenza nelle relazioni istituzionali e/o commerciali quale ponte tra il mercato e le istituzioni brasiliane e le imprese/istituzioni italiane interessate al mercato brasiliano;
- Gestione di missioni commerciali;
- Organizzazione di agende d´incontri;
- Realizzazione di seminari tematici;
- Partecipazione a progetti istituzionali ed altri.


Verificate il catalogo dei servizi camerali


A livello istituzionale, la Camera agisce come facilitatore delle relazioni bilaterali tra Italia e Brasile, incoraggiando lo scambio di esperienze tra le istituzioni in diversi settori economici. A tal fine, stabilisce importanti partnership con le istituzioni governative brasiliane e italiane, formando una solida rete di collaborazione. Nel suo network figurano il Governo di Minas Gerais, l'Ambasciata d'Italia in Brasile, il Consolato d'Italia a Belo Horizonte, le Segreterie di Stato per lo Sviluppo Economico, Scienza e Tecnologia ed Agricultura, l’Istituto per lo Sviluppo Integrato di Minas Gerais (INDI), il Centro Tecnologico di Minas Gerais (CETEC), la Banca Regionale (BDMG), tra molti altri.



Per saperne di più sui servizi resi dalla Camera di Commercio Italiana in Minas Gerais, non esitate a contattarci:


+55 (31) 3287-2211 - info@italiabrasil.com.br